Moça do Bolo

Hoje o dia é da moça do bolo.
De chocolate, baunilha. Ou de rolo.
Moça bonita.
Um pouco zangada.
Um pouco afobada.
Às vezes, aflita.
Mas sempre infinita.
Sempre intensa.
Moça de bondade imensa.
Coração.
Emoção.
Um pouco de confusão.
E doses fartas de açucar.
É. Ela também é doce.
E age como se o mundo
Também fosse.
(Quem sabe, tá certa?)
A moça do bolo é esperta.
Amiga do Lacan
De mestre em cuca.
A mestre cuca.
E feliz.
Moça que fez bolo pra tevê.
E faz poesia com glacê.
Moça que espalha cores.
E desperta amores.
E vice-versa.
E versa o vice. Vascaína.
Coitada. Desde menina.
Ninguém é perfeito.
Seu sorriso é.
Hoje o dia é da moça do bolo.

Com carinho, para a minha amiga Carol Duarte.

Fernanda

Abusa,
A musa,
Da beleza.
Desfila sua realeza,
Deixando pra trás,
Com certeza,
Apaixonados olhares.
Apraz
A praia
Com o sorriso mais lindo já visto
E até mesmo o Cristo
Abre os braços pra ela.
Mas só o mar,
E quando sereno,
Abraça seu corpo moreno,
Pra inveja de quem passa.
Linda, tão linda.
Moça, do biquíni de pois,
Nem sabe o bem que me faz.
Nem sabe que incendeia,
Quando deita na areia,
Meu coração.

10 anos

E de repente, não mais que de repente
Aos vinte e três dias de novembro,
Como se fosse hoje, bem me lembro,
Veio ao mundo o meu melhor presente.

Nos meus braços, uma dádiva divina
Tão frágil, tão forte. Tão linda. Tão minha.
Eu era pai daquela menininha…
Apaixonado por Ana Carolina.

Muitos sonhos, desejos. Muitos planos,
Uma vida nova, uma estrada mais bonita,
Em cada abraço, alegria infinita,
Com a minha moça, hoje com dez anos.

Última Rodada II (Brasileirão 2010)

Senhor, venho implorar-te como fiz ano passado
E peço com todo o amor que tenho no coração.
Se antes eu te roguei para não ser rebaixado
Hoje o que Vos suplico, é para ser o campeão.

Homens de preto nos roubaram, a mando do timão
Mas contra tudo e contra todos, chegamos até aqui
De nada adiantou o esforço do cramunhão
Porque Te fizeste presente pelas mãos do Muricy.

Portanto, sem nenhum falso pudor, peço a vitória.
Que todo aquele bando de loucos chore de dor,
Que o Conca se imortalize em nossa história,
E que o triunfo de hoje seja nosso, Tricolor.

Tu, que através de linhas tortas, escreves certo
Nos privaste dos gols do Coração Valente.
Mas que hoje o Fred ache o gol aberto
E que liberte o grito dessa nossa gente!

Que o Engenhão seja coberto por nossa paixão eterna.
E que ela deixe despertos nossos guerreiros.
Que sejam imaculadas as redes atrás do Berna,
E Leandro Euzébio e Gum sejam certeiros.

Como uma precaução a mais, não custa nada,
(Só tornará ainda mais forte a nossa fé)
Faça o Goiás sair na frente no Serra Dourada
E o Cruzeiro escorregar na Arena do Jacaré.

Senhor, fico por aqui, e já Te agradeço
Por todas as graças que tenho, Te sou grato.
Já me deste, na vida, tão mais do que mereço,
Que será simples, pra Ti, esse tricampeonato!

sophia

amo
quando ela me ensina.
seus olhos brilham,
quais de uma menina.
ela discorre com a riqueza de um romance
sobre as mais peculiares
belezas da provence.
sinto o perfume
de cada palavra sua.
e a percebo
distraidamente
nua.
despida, por meros instantes
da armadura, do escudo.
agora, desimportantes.
amo,
quando ela me ensina.
ou quando me conta a sua vida
pregressa
de bailarina.
escuto atento
como sedento,
que precisa beber na sua fonte
de conhecimento.
ela me diz as coisas de
michel foucault
com a mesma intimidade
com que fala do avô.
e como eu amo
escutá-la!
meu peito se enche de força,
quando ela fala.
uvas, vinhos, sabores.
amo
quando ela me ensina.
seus dizeres, meus prazeres.
seu saber,
que ilumina.
quero abraçá-la.
quero beijá-la.
protegê-la.
e quero ser por toda a vida,
o seu melhor amigo.
não sei se ela deixa.
não sei se consigo.

ainda há pontes não construídas.
tomara, se forem um dia,
que liguem as nossas vidas.
em uma só poesia.