Sempre

Quando a minha boca encontra a tua
E respiramos, nós, num só compasso.
Quando, inebriante, andas nua
Segura em dar-se, inteira, ao meu abraço.
Quando sorris, calada, do que sugiro
Ou gargalhas alto do meu ciúme.
Quando já não estás mas ainda respiro,
O ar presenteado com teu perfume.
Quando acordo do teu lado em nossa cama,
Eu sei que essa paixão é verdadeira.
E mais, eu sinto o mesmo que quem ama,
Define como amor pra vida inteira!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s