Difícil

Difícil.
Um passo em falso
E volto ao início.
E, junto aos cacos,
Me junto aos fracos
E tremo.
E temo.
Levanto.
Tento de novo.
E de novo.
E de novo.
E de novo eu erro.
Calado, eu berro.
Cansado, eu choro.
Sozinho, eu rezo.
Rezando, imploro
Por novos olhos.
Uma nova chance,
Um novo caminho,
Um novo jeito.
Quase desisto.
Rasgo meu peito
E persisto.
Ando
Sem rumo.
Assumo
A solidão
Como provação,
A virtude
Como atitude,
E só o céu como confidente
Desse quase louco.
Mas é pouco.
O melhor de mim é pouco.
Não te alcança,
Não te seduz.
Me falta brilho.
Me falta luz.
Talvez.
Conto até três,
Respiro
Como a cabeça que aguarda o tiro,
Fico inerte.
Até que a saudade sufoque
E a angústia 
Aperte.
Então,
Mais uma vez me lanço em tua direção.
Com versos mal escritos
E flores na mão.
Difícil.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s