Sente. E mente.

Não sei se tudo o que sinto
Em teu íntimo tu sentes
Mas, por defesa, tu mentes
Pensando que, antes, eu minto.

Ou talvez tu nada sintas
E só quem sente sou eu…
E se o sentimento é só meu
Não há razão pra que mintas.

E se nem mentes nem sentes
Lá se vai a minha crença
Que não via diferença
Em expressões diferentes.

Quero crer, então, que sentes
Exatamente o que eu sinto.
Melhor seguir meu instinto
Do que ter atos prudentes.

Anúncios

Deixe uma resposta