Vida Colorida

Quero baldes de tinta.
Quero a minha estrada colorida
Com o amarelo do Vincent,
O azul do Pablo
E o vermelho da Frida.
Quero cor,
Quero amor,
Quero vida.
Quero despir-me o quanto antes,
Já nos próximos instantes,
Da alma ranzinza,
Feia,
Como roupa de cadeia,
Opaca, triste. Cinza.
Quero o sol, laranja,
Impressionante,
Ultrapassando, soberano,
O basculante
Enquanto tomo banho
E me livro do último resíduo,
Do desbotado indivíduo
Que não quero ser.
Quero novos olhos
Para ver, no mundo,
O que eu não conseguia.
O que a minha obtusa mente,
Já não percebia.
Quero novas cores.
Novos amores.
Quero alegria.

Deixe uma resposta