Foi-se

Foi-se!
E eu fiquei
Na companhia de apenas
Umas poucas lágrimas
Mais cinco ou seis palavras
Presas na garganta.

Foice! Que rasga o coração. Sangra o coração
Pobre coração. Antigo lar de tantos belos sentimentos
De sonhos e sonetos
De esperanças,
Danças, canções.
Emoções.

Foi-se!
E o que era amor
Virou saudade?
Virou tristeza?
Virou vazio?

Que virem, sim,
Velozes, constantes
As folhas desse ordinário
Calendário
Que dias passem em segundos.
Voem!
Que o tempo seja, na frente de tudo,
Meu amigo.
E que antes, bem antes,
De eu enxugar meu rosto,
Possa de novo (pra sempre)
Sentir o gosto
Do teu beijo.
Que beijo!
Definitivo, permanente. Eterno.
Impregnado em cada milímetro
Da minha memória.
Beijo puro. Beijo doce. Beijo meu.
Beijo da vida. Beijo que me deu vida.
Vivo pra isso.
Por isso.

Foi-se!
Te espero.
Te quero.
Te amo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s