Banho

Serena. Sozinha com seus pensamentos…
A luz do dia vem pela janela
E antecipa o fim de maus momentos,
Por todo o quarto o cheiro de canela.

Mais que o corpo, recompôs a alma
No banho, imersa em tantas memórias
Que se misturam e resultam em calma.
Esquece as dores. Lembra das vitórias.

Com a toalha áspera na pele macia
Remove medos, traumas e liberta.
Já não se sente tão distante e fria,
E já intui, com a mente mais aberta.

E ela escuta o próprio coração
Que antes do banho estava tão calado
Mas agora bate com a emoção
De um alegre recém-libertado.

Entrega-se a moça, revigorada,
A um destino muito mais bonito.
Segura, em sua nova estrada
De amor lindo, puro e infinito.

Deixe uma resposta